Saiba como a digitalização de documentos pode ajudar o setor de saúde

Saiba como a digitalização de documentos pode ajudar o setor de saúde

Mais do que nunca a digitalização de documentos no setor de saúde é fundamental para implantar uma gestão eficiente, capaz de promover o equilíbrio financeiro das organizações e melhorias de processos. No setor de saúde, a transformação digital faz com que gestores e profissionais tenham uma nova visão, incorporando tecnologia e inovação na gestão e na oferta de tratamentos.

Pesquisa conduzida pela Porter Research com gestores indica que, em 2019, o foco do setor de saúde será a redução de custos operacionais e a oferta de uma melhor experiência ao paciente. Segundo os executivos consultados, os elementos necessários para reduzir custos e melhorar a experiência dos pacientes dependem de ampliar a eficiência operacional, viabilizar a interoperabilidade, aumentar a visibilidade dos dados e melhorar o engajamento dos pacientes.

A digitalização de documentos no setor de saúde oferece a capacidade de ter maior visibilidade em toda a organização, o que permitirá transformar dados em inteligência, reduzindo, assim, os custos. Com essa visibilidade, os entrevistados acreditam que o sistema de saúde poderá elevar a produtividade e a capacidade dos recursos, além de reduzir os gargalos de agendamento, entregando serviços de saúde mais eficientes, efetivos e acessíveis.

Prontuários eletrônicos e telemedicina

 

Além da eficiência, novas resoluções fazem com que a digitalização de documentos no setor de saúde deva ser um ponto focal para os gestores.

Em primeiro lugar está a lei que cria regras para a digitalização, a utilização e o armazenamento eletrônico de prontuários médicos em hospitais, já aprovada pelo Senado. O objetivo é modernizar o trabalho das unidades de saúde e facilitar o acesso às informações dos pacientes. Entre outros pontos, a norma determina que os documentos digitais reproduzam todos os dados médicos dos prontuários originais, muitas vezes arquivados em papel e de forma precária.

Embora muitas clínicas e hospitais já utilizassem sistemas informatizados, ainda eram obrigados a guardar os antigos prontuários por, no mínimo, 20 anos. De acordo com a nova lei, os documentos originais podem ser destruídos após a sua digitalização, ou devolvidos ao paciente interessado.

E também temos a Resolução do Conselho Federal de Medicina, publicada em 2018, que autoriza o atendimento médico à distância – telediagnóstico, teleconsulta etc. Para realizar consultas online, todos os dados dos pacientes deverão estar digitalizados para que possam ser capturados, armazenados e transmitidos em tempo real, com segurança.

Além da agilização de processos rotineiros

 

A partir da digitalização de documentos no setor de saúde, e a consequente captura e análise de dados, a gestão da rotina hospitalar, como entrada e cadastro de pacientes, autorização para procedimentos, marcação de consultas, entre outros processos, são automatizados e ganham agilidade.

Mas as possibilidades de uso dos dados indexados e integrados a uma eficiente solução de gestão documental vão muito além da rotina hospitalar. Muito se tem falado na aplicação de tecnologias de Inteligência Artificial (IA) em diversos setores.

No setor de saúde, as aplicações de IA, segundo a consultoria Accenture, podem levar ao:

 

  • Desenvolvimento e entrega de programas de assistência a pacientes – de ensaios clínicos a gerenciamento de tratamentos – que melhorarão o atendimento e os resultados

 

  • Oferta de tratamentos inovadores por meio da sintetização de dados para identificar novos tratamentos clínicos e novas abordagens para ensaios médicos

 

  • Prestação de um atendimento médico melhor com análises gráficas mais precisas e novos serviços digitais a fim de aperfeiçoar a o planejamento da assistência clínica

 

  • Aumento da eficiência operacional com a otimização dos cronogramas, processos ampliados e gestão racionalizada dos pedidos de indenização e pagamentos

 

  • Expansão de crescimento do negócio por meio da melhora da aderência à medicação e retenção do paciente (por exemplo, através da Gestão da Experiência do Cliente)

 

E todo esse novo cenário começa com a digitalização de documentos no setor de saúde e a implantação de um sistema de gestão documental, capaz de entregar os dados em tempo real, com total segurança.