Saiba como as empresas no setor de saúde podem aproveitar suas informações

As informações são a energia vital da economia no setor de saúde. São essenciais para melhorar a experiência do paciente e reduzir custos.

Há uma clara necessidade de liberar o valor da informação, e muitas empresas do setor de saúde estão confiantes que podem fazer isso. No entanto, o relatório produzido pela PwC apontou que essa confiança é em parte, equivocada.

Um exame das 150 entrevistas conduzidas com líderes seniores da indústria de saúde dos Estados Unidos mostra que pouquíssimas empresas conseguem extrair todo o potencial dos dados.

A pesquisa também constatou que assim como nos outros setores, a maioria das empresas de saúde é deficiente nas competências técnicas e cultura necessárias para obter vantagem das informações. Essa constatação é refletida no Índice de Valor da Informação para a Saúde,  que atinge a pontuação de 55,8 em uma escala de 0 a 100.

Apesar das deficiências, existe uma política de boas práticas para a gestão documental e aproveitamento das informações. Durante a pesquisa foi identificado um pequeno grupo de empresas do setor de saúde que são líderes nessa habilidade: a “elite da informação”.

Essas empresas representam apenas 7% do total de organizações consultadas, mas descobriram rapidamente o que é necessário para gerar valor a partir dos dados que armazenam.

O restante da indústria de saúde pode aprender com esse pequeno grupo as boas práticas em relação à governança da informação: a cultura de tomada de decisão é totalmente baseada em evidências, a maneira com que equilibram a gestão de informações para avaliar riscos e valores e a compreensão da necessidade da contratação de analistas para interpretação de dados.

Digitalização e mudança no armazenamento de dados

A digitalização das informações trouxe uma série de mudanças. O setor de saúde não passou ileso por isso. Foi aprovado o projeto de lei que permite a digitalização de informações médicas, o que tende a otimizar o trabalho e facilitar a consulta aos documentos.

Dentro do regime atual, clínicas e hospitais são obrigados a manter os prontuários médicos manuscritos por até 20 anos, ocupando uma grande área das dependências físicas das instituições.

Porém, essa digitalização deve obedecer alguns parâmetros a fim de assegurar a integridade, autenticidade e confidencialidade. As informações dos documentos originais devem ser reproduzidas fielmente e o projeto prevê o uso de um certificado digital que ateste a veracidade documento.

A destruição dos documentos originais poderá ser feita, mas após análise obrigatória de uma comissão permanente de revisão de prontuários e avaliação de documentos. Essa comissão foi criada especialmente para esse fim, e vai constatar a integridade dos papéis originais para permitir a eliminação. Apenas documentos de valor histórico deverão ser preservados.

Abordagem sobre volume de informações

Na era da big data, a abordagem sobre dados é voltada para o aproveitamento máximo desses recursos. Com a administração correta da informação, é possível mudar a interação entre empresa e pacientes, prevendo comportamentos e encontrando oportunidades para melhorar a eficiência operacional e a experiência do paciente.

Porém, não se trata de uma tarefa fácil: é preciso adotar novas estratégias, investindo em pessoas, ferramentas e tecnologias capazes de fazer essa análise e transformar dados em insights aplicáveis dentro da empresa.

A maioria das organizações do setor de saúde tem duas preocupações conflitantes: a obtenção de valor dos registros e a manutenção da segurança e do sigilo dessas informações. Alcançar o equilíbrio entre essas duas questões deve ser uma prioridades das corporações na área da saúde.

O uso corretos desses dados permite, além de oferecer uma melhor experiência ao paciente, uma série de outras vantagens:

  • resultados clínicos mais apurados;
  • segmentação da população baseada nas necessidades e preferências individuais;
  • tomada de decisões eficaz em relação às opções de tratamento
  • otimização do uso de programas clínicos
  • projeção de uma rede de serviços ideal para a população.

 

Conte com os serviços da Access para a manutenção e guarda dos documentos e prontuários de saúde, permitindo que a sua empresa consiga tirar proveito das informações armazenadas e oferecer serviços personalizados e de maior qualidade.

Entre em contato

A Access cuida das suas informações, independente do formato em que estejam

Sede em São Paulo

Rua do Curtume, 554 – Lapa
CEP: 05065-001
São Paulo / SP

Fone: +55 11 3612-6070

Escolha abaixo um assunto e envie sua mensagem para nós:

  • Solicite um orçamento
  • Trabalhe conosco
  • Seja um fornecedor